Pare de culpar o governo por tudo

Comecei a escrever esse post dia 17/11, salvei e não terminei, mas os recentes papos que tenho tido com amigos, todo esse tempo de mudanças que a gente tá vivendo e até a matéria da universidade parece estar me jogando para este assunto.

Bem, feita esta pequena introdução, leia o título novamente, rs, e continue lendo daqui 😉

"bin laden, aqui tem mais duas torres"

“[…] é, Só no Brasil mesmo…”

“Isso é Brasil, não vai mudar nunca”

“Já viu alguma coisa funcionar aqui?”

“político é tudo safado, e o governo não vai mudar”.

Tá.

Vamos por partes.

Para quem não sabe, o tal governo(quando vocês lerem “governo” em itálico, me imaginem fazendo uma cara assustadora, tipo essa aqui do George Carlin) não é simplesmente um monstro que chega na sua casa e te rouba. Não uma coisa exterior a nós. Também não é uma entidade que apareceu do nada no nosso planeta e tem poderes supremos e inalcançáveis.

Ele é formado de (pasmem) pessoas. Sim, pessoas. Dessas que se vê por aí, aos montes.
Iguais à você, e eleitas por você.

Então porque ser tão irracional e, principalmente, superficial na hora de analisar os fatos? Claro que é bem mais fácil sair xingando tudo e todos, sem usar um pouco a cabeça, mas, pare pra pensar só um pouco. Tem coisas que esse chato adoram xingar, e ligar a culpa das merdas que acontecem aqui diretamente a elas.

Tipo futebol, copa do mundo, essas coisas. E te enche a cabeça com um mimimi sobre Pão e Circo que ele acabou de ouvir na escola e etc.

Tipo “[..]mimimimi copa do mundo no brasil já até vi a roubalheira que vai ser, tudo desculpa pra superfaturar obras e lucrar milhões com isso afinal, brasileiro é assim […] mimimi copa do mundo mimimi […] pão e circo”.

Não, não tá errado. Mas não se esqueça que eu sou vagabundo que você também esteve antes e vai continuar sentando lá na frente da tv torcendo e comentando sobre os jogos. Esquecendo-se dos problemas, comendo pão e assistindo ao circo.

O problema é que, fica falando mal do Brasil de uma forma magnífica, paga pau pra outros países, de “primeiro mundo” (alguém ainda usa esse termo?) e não imagina que até no primeiro dos primeiros do mundo, também haja corrupção.

Ah, mas eu não assisto Globo por que é uma mídia corporativista burguesa“. Aham. E você também não come fast food por causa do colesterol né? Aham.

O leitor mais atento deverá se perguntar (sempre quis dizer isso, rs): Mas o que fazer? Ignorar tudo que acontece? Lutar pelos meus direitos?

Bem, antes de tudo, não seja um babaca. Sério, há muitas, muitas formas de ser um (se você lê o blog há mais tempo, com certeza viu muitas delas), mas não seja.

Leia, se informe, o principal “motor” do conhecimento é a informação. Você tem que conhecer pelo menos dois lados diferentes da mesma história, sempre, independente do tipo de história, se não quiser ficar usando uma viseira como a citada no final desse outro post.

Aquela pessoa que segue somente a Bíblia, que só assiste um jornal, que só lê um autor/filósofo, que diz que tal livro baseou a sua vida inteira (livro este que provavelmente vai esquecer daqui a poucos anos) = não seja essa pessoa.

Seja diferente, não siga a opinião comum só pela maioria, ou por preguiça. Você tem internet, tem vários canais de tv aberta, tem biblioteca na sua universidade, no seu colégio, ou pelo menos na sua cidade. Vale muito à pena trocar algumas horas de F5 no facebook pra procurar conhecer mais sobre o seu país, sua história, e acabar descobrindo tem muita coisa sobre você que nem você sabia.

Atacar o governo, os políticos, a economia, o diabo, oralmente ou até no sentido literal, como propõe a imagem do começo do post, não vai mudar nada. Com isso, você só vai perder (duas coisas, pra ser exato: tempo e razão).  É preciso que a gente mude primeiro, e a partir disso desencadear uma série de boas mudanças que logo vão se refletir na nossa família, na educação, e, quem sabe, até mesmo no quase “inatingível” – não se esqueçam de me imaginar fazendo essa cara – governo.

Anúncios

Dicas pra você que vai de Ônibus

Todo dia precisamos deles, nossos queridos ônibus, uma hora ou outra. E eu sou um cara bastante experiente nesse ramo (de passageiro) e percebi que, apesar de não ser a experiência mais ~gostosa~ do mundo, andar de ônibus nem sempre é uma merda e  que pode se tornar até agradável – se você souber se virar e prestar atenção em alguns detalhes.

Esse poderia ser você - "MAS PERAÍ ESSE SOU EU MESMO"

Vamos à eles:

Uniformes

Terça-feira, quase 7 da manhã e ônibus lotado. Muito comum ver pessoas de uniformes: de colégios, empresas, cursinhos, etc. E alunos normalmente andam em bando. Como tirar proveito disso?

Se você conhece seu bairro e o trajeto do ônibus, sabe onde cada um deles vai descer só pelo uniforme, e ainda, sabe qual vai descer primeiro. Por exemplo, eu vou pra Ufpa de Alcindo Cacela, e sei que um dos primeiros “carregamentos” que vai descer é o de alunos do colégio NPI. Logo, se tiver um deles sentados, fico de pé, perto, apoiado na cadeira. Quando estiver chegando perto do colégio eles já se preparam sair e eu me preparo pra conseguir meu lugar sentado.

O mesmo com uniformes de empresa, se souber onde alguém vai descer só pelo uniforme, aproxime-se da cadeira, espere o destino chegar, e aproveite sua nova e confortável “poltrona”.

Casais / Amigos

Duas pessoas conversando é sinal de que elas (na maioria dos casos) vão descer juntas, então Leia o resto deste post

[Drops] The Strokes, Angles

Há algumas semanas eu tinha dito que o Suck It And See do Arctic Monkeys (2011) tinha sido o melhor do ano, aí recentemente eu peguei  o Angles, do The Strokes, de novo, com cuidado(com mais atenção ainda), e percebi a genialidade, não é um cd qualquer.
Não chega a ser revolucionário, mágico como o Is This It de dez anos atrás, mas, com certeza mostra e traz de volta o Strokes que a gente conhecia, mas agora mais maduros, mais experientes, e ainda melhores.

“De volta”. Os anos de afastamento e as carreiras solo foram primordiais para que cada um se encontrasse, e dessem um tempo do clima que estava na banda. Por vezes o fim do Strokes foi anunciado, e a separação temporária propiciou essa magnífica volta por cima.

Pode pegar show do tempo que o Julian Casablancas enchia a cara, errava as letras e caía no palco. Sim, claro, nem assim a gente deixava de curtir, porquê esse era o Julian. Mas com certeza atrapalhava a banda, uma hora ou outra.

Pegue esse show e compare com o show no Reading desse ano, Juicebox, por exemplo. A diferença é nítida.

E o Angles, nascendo dessa volta, mostra do que o Strokes ainda é capaz. E dá um pequeno preview do que está por vir.

Acreditem no Strokes, acreditem na boa música.

Mais tarde faço uma enquete no Facebook e aqui também, perguntando qual foi o melhor cd do ano, aguardem ;D

 

O Ovo ou a Galinha?

"Chicken or the Egg" by Driven-Crazy

Duas espécies de “partidos” tentam responder quem veio primeiro há muito, muito tempo. O “partido” da Galinha, que surgiu primeiro, diz haver (desde todo o sempre) tipo uma Galinha superior, que criou tudo e, em destaque, os Ovos à sua imagem e semelhança. E acreditam que essa Galinha observa tudo que você faz e gere toda a sua vida.

Já o “partido” do Ovo, é bem mais recente, e diz que, a partir de uma grande explosão, e de outros fatores consequentes desta, o Ovo surgiu primeiro, daí surgiram outros Ovos que começaram a viver em sociedade, e eles precisavam de uma explicação para as coisas que eles viam, os fenômenos da natureza, e por isso criaram a idéia de existe uma Galinha superior que fosse responsável por cada um desses fenômenos.

Bem, vocês sabem que não é sobre ovos e galinhas que estou falando.

A necessidade humana do saber, de ter o poder de controle sobre as coisas à sua volta, existe desde sempre. Essa tendência do homem em afastar-se das leis da natureza mostra-se logo no primeiro exercício da solidariedade orgânicaonde, segundo Émile Durkheim, a sociedade se desenvolve a partir da diferenciação entre indivíduos –  com a divisão de trabalho que separou capacidades entre crianças e adultos, homens e mulheres.

Esse seria o primeiro rompimento humano com o seu lado animal, indo contra a lei da natureza. Discordando da lei do mais forte(a “Teoria da Evolução”, para Darwin), ele tentava, incansávelmente, organizar a bagunça que só ele via.

Não é minha intenção quero dizer qual está certo ou errado, defender qualquer um desses partidos. Primeiro, porque não tenho autoridade nem conhecimento suficiente que me dê certeza para tal afirmação, segundo porque não dou a mesma importância que algumas pessoas dão na crença de outras. Como se isso definisse caráter…

Bem, às vezes define. Quando define, muita das vezes é pra pior.

Meu ponto aqui é falar da cegueira de algumas pessoas, que não imaginam a possibilidade de haver uma “outra versão” das histórias que lhe foram contadas.

É bem difícil claro, ouvir alguém dizer que tudo aquilo que você acredita é uma mentira, mas o problema está no valor que VOCÊ atribui à essas coisas. Não nas “crenças”, ou nos fatos em si. As coisas não se tornam verdades sozinhas, por elas mesmas, elas precisam da sua crença para que tenham realmente acontecido. Como assim?

Sabe aquela frase: “Se uma árvore cai no meio da floresta, sem ninguém por perto, ela faz barulho?” Ou ainda: “[…]a árvore REALMENTE caiu?”?

Se você dedicar (figurativamente, é claro) a uma dessas afirmações  toda a sua vida, é você quem vai sair perdendo, cedo ou tarde.

O melhor jeito de saber se a árvore caiu de verdade, ou saber se quem veio primeiro foi o ovo ou a galinha é: estudar, pesquisar, ler, e, o mais importante de tudo, manter a mente aberta e preparada para ouvir diferentes opiniões e versões sobre o assunto em questão. Não use aquela viseira que botam no cavalo, para que o coitado nunca olhe para os lados.

Do contrário, você vai passar a vida toda assim, com a tal viseira. E andando em quatro patas. Não no sentido “animal”, mas no sentido “Darwin”.

E, graças à Evolução, será passado para trás.

Sobre a promoção da Motorola (www.ajudeoarmando.tk)

A Motorola está promovendo um concurso para “ajudar” o Selton Mello a criar um comercial para promover os novos smartphones Atrix, Defy e o tablet Xoom(link). Onde você tinha/tem que enviar um vídeo de até 30 segundos divulgando qualquer um dos três (ou os três, ou a Motorola, enfim) de forma criativa.

Então, há exatamente uma semana, eu enviei o vídeo, funciona assim: se ficar entre os 10 MAIS VOTADOS, ganho um Atrix, se ficar do 11º ao 100º, ganho um Defy(dá pra ganhar o XOOM e um carro da Toyota, mas isso é outra história), e conseguir se manter entre os 100 primeiros até o dia 14/09. Só isso, aparentemente simples.

Aí eu estava mandando o link para amigos, via msn/twitter/facebook/orkut de forma tranquila, sem preocupação, e o meu vídeo estava oscilando entre 24º~25º~28º, até aí tudo bem, eu não tava com ambições tão grandes de ganhar um carro, ou mesmo o Atrix, queria o Defy, mt lindo, e é o suficiente pra mim.

Mas aí galere começou a postar mais e mais vídeos e o meu chegou a ficar entre 38º e o 40º, e bateu o medo de que o meu vídeo ficasse pra trás, tão pra trás que ficasse pra fora dos 100 mais. Pera lá, né, não fiquei até tarde atuando/dirigindo/editando o vídeo pra perder.

Então, pensei e decidi:

(esse deveria ser meu slogan pra toda a vida rs)

Leia o resto deste post

%d blogueiros gostam disto: