Arquivo da categoria: Sem categoria

E se a Universidade não servir pra você?

Eu, assim como a maioria das pessoas que conheço, cresci com uma espécie de planejamento para o meu futuro, normal. Que seria basicamente ir para o colégio, passar os “jardins”, o fundamental, e concluir o ensino médio já tendo em mente a universidade que iria cursar – pública, é claro. Meus pais não tinham dinheiro pra inserir nos planos uma faculdade particular,  além de ter no meio esse orgulho que é amarrado a entrar em uma pública, sabe como é.

Como eu disse, plano dos pais.

Doutor, advogado, engenheiro, médico. Quem nunca, na infância e adolescência, ouviu seus pais ou parentes mais velhos lhe colocando a responsabilidade de exercer um desses cargos no futuro?  Quando criança parece uma coisa tão simples, uma linha lógica, como a que eu falei algumas linhas acima.

Então você, seguindo o conselho de seus pais, que dizia “estuda, estuda… só assim você vai ser alguém na vida“, foi lá, trilhou seu caminho (o das pedras, como não esquecem de insistir alguns cursos pré-vestibulares) e finalmente chegou à última etapa antes de entrar no ensino superior, o vestibular. Mas no dia do resultado, após conferir no mínimo dez vezes a lista de aprovados, e ficar 15 minutos com os olhos fixos na tela do computador, não conseguiu achar seu nome completo – no máximo alguns nomes ou sobrenomes isolados – que você com certeza espraguejou até a morte.

Tive amigos que apanharam dos pais, alguns choraram semanas, outros simplesmente desistiram, e poucos que passaram. Bem, incrivelmente, dentre os abençoados com a aprovação, alguns fizeram exatamente o contrário do que seria esperado por todos os envolvidos: largaram o curso (ou trancaram, “provisoriamente para sempre“).

O que há em comum entre todos esses grupos de pessoas é que, com certeza, sofreram uma pressão (e até mesmo preconceito) enorme dos amigos, professores, parentes, mas principalmente dos pais ou até mesmo da própria consciência, que não consegue admitir ou entender ser inferior aos outros. Não ser “tão inteligente quanto o seu primo, que passou de primeira“, ou quanto aquela menina meio estranha que sentava no canto da sala e passou em primeiro lugar na federal.

Antes de tomar qualquer decisão, é a hora para parar e pensar: a Universidade é REALMENTE o que eu quero?

Afinal, essa essa é uma pergunta tão óbvia, mas tão óbvia, que quase ninguém se faz. “É CLARO que eu quero ir pra universidade, por que não?“. Quando a pergunta que deveria ser feita é “Peraí,… por que sim?”.

Entrei na universidade com a expectativa de que seria uma extensão ao colégio, apenas uma continuação do ensino médio: trabalhos para casa, algumas atividades em sala, empurrando com a barriga, e caso tirar alguma nota baixa, só me esforçar um pouco pra passar de ano. Ledo engano.

Tive que fazer coisas que nunca tinha feito antes (ou pelo menos não da mesma forma), como passar horas em uma biblioteca, afinal, com a Wikipedia e a internet em geral, me diz quando foi a última vez que você foi em uma? Não lembra? Pois é, nem eu. Quando foi que você reuniu um grupo em casa pra fazer um seminário (ou “trabalho-pra-apresentar”, como gostamos de dizer no ensino médio)e FEZ e estudou para o trabalho, de verdade? E falando nisso, quantas pesquisas você fez completamente sozinho sem ajuda da mãe-de-todos? Então ;).

Acontece que lá você tem que PRODUZIR – essa é uma palavra que se ouve bastante – e não copiar.
Ou você cria, ou você reprova.

Eu sei que isso é duro, até pode soar um pouco pretensioso, mas se você tiver lido todas as linhas com atenção até aqui, já deve prever o que vou dizer e entender que a verdade é que:

A universidade não é para todos.

Sim, é verdade.

Mas peraí, não digo isso porque poucos conseguem entrar, mas porque nem todos conseguem se manter e tirar um real proveito de tudo que a universidade tem a oferecer. Ter um ensino superior, se formar, mas… pra quê?

Melhores salários? Você com certeza já ouviu a frase “hoje em dia tem cara formado procurando emprego de gari“, favor não levar à questão de a frase ser preconceituosa ou não, ela é apenas… verdade. Figurativamente. E se é um bom salário que você quer, pra que se matar estudando durante anos se você pode fazer um concurso e – dependendo do concurso – ganhar a mesma coisa ou até mesmo mais? (a menos que você almeje ganhar mais de R$20 mil por mês né).

E outra, hoje temos vários (eu ia dizer “milhares” mas não sei confere a informação) cursos técnicos que, cara, duram até mesmo um mês e pronto: você tem seu diploma e maiores chances de arrumar emprego – inclusive através de concursos.

A Universidade não é uma extensão natural do ensino médio. E muito menos uma fábrica de gente rica (bem, talvez pra alguns cursos, sim rs).

Peço que não interpretem mal o que eu disse até agora. Eu sempre me dou ao trabalho de encorajar de verdade todas as pessoas que eu conheço entrar em uma universidade porque é um ambiente incrível, a vida muda bastante e pra muitos é um sonho (como pra mim era) e sem falar dos mil caminhos que você encontra lá dentro. O que acontece é que muita gente vai, faz cursinho, estuda, se mata e nem ao menos para pra pensar se esse é realmente o seu sonho, e não de outras pessoas.

Por que, na boa, no final das contas, o que vai importar de verdade, não é o que as pessoas pensam sobre você ou que você faz, ninguém vai pagar suas contas. Nem sua profissão, nem seu carro, seu dinheiro, isso não vai mudar quem você é. Muito menos a formação que você tem.

A universidade pode não servir pra todo mundo, mas a chance é igual pra todos. Por isso pense, analise de verdade, se é o que você precisa, se é o que você quer. Concorrer a uma universidade ou não, é uma decisão muito importante, e só cabe a você decidir o melhor a fazer, então não deixe ninguém fazer isso por você.

Anúncios

Pare de culpar o governo por tudo

Comecei a escrever esse post dia 17/11, salvei e não terminei, mas os recentes papos que tenho tido com amigos, todo esse tempo de mudanças que a gente tá vivendo e até a matéria da universidade parece estar me jogando para este assunto.

Bem, feita esta pequena introdução, leia o título novamente, rs, e continue lendo daqui 😉

"bin laden, aqui tem mais duas torres"

“[…] é, Só no Brasil mesmo…”

“Isso é Brasil, não vai mudar nunca”

“Já viu alguma coisa funcionar aqui?”

“político é tudo safado, e o governo não vai mudar”.

Tá.

Vamos por partes.

Para quem não sabe, o tal governo(quando vocês lerem “governo” em itálico, me imaginem fazendo uma cara assustadora, tipo essa aqui do George Carlin) não é simplesmente um monstro que chega na sua casa e te rouba. Não uma coisa exterior a nós. Também não é uma entidade que apareceu do nada no nosso planeta e tem poderes supremos e inalcançáveis.

Ele é formado de (pasmem) pessoas. Sim, pessoas. Dessas que se vê por aí, aos montes.
Iguais à você, e eleitas por você.

Então porque ser tão irracional e, principalmente, superficial na hora de analisar os fatos? Claro que é bem mais fácil sair xingando tudo e todos, sem usar um pouco a cabeça, mas, pare pra pensar só um pouco. Tem coisas que esse chato adoram xingar, e ligar a culpa das merdas que acontecem aqui diretamente a elas.

Tipo futebol, copa do mundo, essas coisas. E te enche a cabeça com um mimimi sobre Pão e Circo que ele acabou de ouvir na escola e etc.

Tipo “[..]mimimimi copa do mundo no brasil já até vi a roubalheira que vai ser, tudo desculpa pra superfaturar obras e lucrar milhões com isso afinal, brasileiro é assim […] mimimi copa do mundo mimimi […] pão e circo”.

Não, não tá errado. Mas não se esqueça que eu sou vagabundo que você também esteve antes e vai continuar sentando lá na frente da tv torcendo e comentando sobre os jogos. Esquecendo-se dos problemas, comendo pão e assistindo ao circo.

O problema é que, fica falando mal do Brasil de uma forma magnífica, paga pau pra outros países, de “primeiro mundo” (alguém ainda usa esse termo?) e não imagina que até no primeiro dos primeiros do mundo, também haja corrupção.

Ah, mas eu não assisto Globo por que é uma mídia corporativista burguesa“. Aham. E você também não come fast food por causa do colesterol né? Aham.

O leitor mais atento deverá se perguntar (sempre quis dizer isso, rs): Mas o que fazer? Ignorar tudo que acontece? Lutar pelos meus direitos?

Bem, antes de tudo, não seja um babaca. Sério, há muitas, muitas formas de ser um (se você lê o blog há mais tempo, com certeza viu muitas delas), mas não seja.

Leia, se informe, o principal “motor” do conhecimento é a informação. Você tem que conhecer pelo menos dois lados diferentes da mesma história, sempre, independente do tipo de história, se não quiser ficar usando uma viseira como a citada no final desse outro post.

Aquela pessoa que segue somente a Bíblia, que só assiste um jornal, que só lê um autor/filósofo, que diz que tal livro baseou a sua vida inteira (livro este que provavelmente vai esquecer daqui a poucos anos) = não seja essa pessoa.

Seja diferente, não siga a opinião comum só pela maioria, ou por preguiça. Você tem internet, tem vários canais de tv aberta, tem biblioteca na sua universidade, no seu colégio, ou pelo menos na sua cidade. Vale muito à pena trocar algumas horas de F5 no facebook pra procurar conhecer mais sobre o seu país, sua história, e acabar descobrindo tem muita coisa sobre você que nem você sabia.

Atacar o governo, os políticos, a economia, o diabo, oralmente ou até no sentido literal, como propõe a imagem do começo do post, não vai mudar nada. Com isso, você só vai perder (duas coisas, pra ser exato: tempo e razão).  É preciso que a gente mude primeiro, e a partir disso desencadear uma série de boas mudanças que logo vão se refletir na nossa família, na educação, e, quem sabe, até mesmo no quase “inatingível” – não se esqueçam de me imaginar fazendo essa cara – governo.

Dicas pra você que vai de Ônibus

Todo dia precisamos deles, nossos queridos ônibus, uma hora ou outra. E eu sou um cara bastante experiente nesse ramo (de passageiro) e percebi que, apesar de não ser a experiência mais ~gostosa~ do mundo, andar de ônibus nem sempre é uma merda e  que pode se tornar até agradável – se você souber se virar e prestar atenção em alguns detalhes.

Esse poderia ser você - "MAS PERAÍ ESSE SOU EU MESMO"

Vamos à eles:

Uniformes

Terça-feira, quase 7 da manhã e ônibus lotado. Muito comum ver pessoas de uniformes: de colégios, empresas, cursinhos, etc. E alunos normalmente andam em bando. Como tirar proveito disso?

Se você conhece seu bairro e o trajeto do ônibus, sabe onde cada um deles vai descer só pelo uniforme, e ainda, sabe qual vai descer primeiro. Por exemplo, eu vou pra Ufpa de Alcindo Cacela, e sei que um dos primeiros “carregamentos” que vai descer é o de alunos do colégio NPI. Logo, se tiver um deles sentados, fico de pé, perto, apoiado na cadeira. Quando estiver chegando perto do colégio eles já se preparam sair e eu me preparo pra conseguir meu lugar sentado.

O mesmo com uniformes de empresa, se souber onde alguém vai descer só pelo uniforme, aproxime-se da cadeira, espere o destino chegar, e aproveite sua nova e confortável “poltrona”.

Casais / Amigos

Duas pessoas conversando é sinal de que elas (na maioria dos casos) vão descer juntas, então Leia o resto deste post

[editorial] Explicando a merda que eu fiz

Quem entrou no blog recentemente deve ter percebido que os posts, o tema sumiu, os widgets laterais, e a minha foto do cabeçalho também.

Isso tudo graças à uma pequena grande merda, troquei o endereço do blog. Sim, eu tinha trocado o “ahnem.wordpress.com” para “doarmando.wordpress.com”, mas os links, as visitas vindas do Google e de meus perfis na internet direcionavam para nada.

E as visitas que tinham o “ahnem” (que passavam de 4.500) zeraram, e agora devem estar chegando ao número 40. O que é bastante triste, ://////////

Com o tempo esperamos (espero) que tudo volte ao normal, 4.500 visitas do contador se foram, mas sei que continuam no coração de cada um de nós. (brinks)

Quem matou a Norma? – Insensato Coração

Interrompemos a programação normal para uma pesquisa de cunho científico.

São várias as possibilidades dentre os candidatos a assassinos da Norma, então, gostaria da ajuda de vocês, que entendem muito mais de novela do que eu, rs.

Quem matou a Norma? E porquê?

%d blogueiros gostam disto: