Arquivo da categoria: Música

Função "O que eu estou ouvindo": Do MSN para a vida real

Desculpa o título enorme, mas é o que melhor resumiria um fenômeno que poderia muito bem se tratar de mais uma atualização do Windows Live Messenger. Desta vez trazendo aquela função de “Ativar O que eu estou ouvindo” para a “vida real”. E como seria isso?

Bem, se você anda de ônibus, com certeza já se deparou com pessoas ouvindo em seu LG preto e laranja(aquele do alto falante enorme), ou derivados, suas músicas em um volume altíssimo, e pelo menos aqui em Belém, as mais tocadas são predominantemente melody/tecnobrega, e em segundo lugar, ali, disputando, rap, pop, sertanejo e pagode.

Isso sem citar os loudspeakersmans (os famosos homens alto falante) termo que, após pesquisas(rs), criei para denominar aquelas pessoas que querem SER o próprio reprodutor de áudio, e, assim como o primeiro grupo citado, mostrar para meio mundo o que eles gostam de ouvir. O que eles fazem para isso? Andam nas ruas normalmente com os celulares na mão ou no bolso, com música tocando, como se não houvesse o amanhã. Coisas que nós normalmente não faríamos, por medo de sermos roubados ou de fazer parte de um dos grupos estudados aqui neste post.

Mas por quê isso acontece, Armando? kk vou parar com isso, ok?

Falta de fone de ouvido? Não. Inclusive várias campanhas já rolaram via Orkut e Facebook, com a esperançosa frase “Doe um fone de ouvido a um funkeiro“, mas sem sucesso. Já que o problema não é a falta do fone, e sim a falta de bom senso, tornando inútil a corrente.

Causar constrangimento nas pessoas? Talvez. Já que o horário preferido pra essa galera é simplesmente: todos os horários. “Toda hora é hora de ouvir música no máximo no meu celular mesmo que isso enfureça as pessoas que acabaram de acordar e estão indo trabalhar/estudar. Foda-se se elas não curtem o meu som, mas é assim que eu vivo, sou vidaloka”. Além do que, o fato de eu parecer bandido oprime algumas pessoas ao me contestar, mesmo educamente”.

Auto afirmação em um grupo? Bem, não auto afirmação em si (espero que este parágrafo não soe como uma reportagem da Globo), mas a idéia de simplesmente estar em um grupo é sedutora para as crianças. É normal que elas copiem o jeito de vestir, falar e agir de seus amigos mais ~descolados~ e daí vem as influências, a necessidade de parecer daquela galera. Ouvir as mesmas músicas que eles, e do mesmo jeito que eles.

Este é o ponto que eu queria chegar, o O que eu estou ouvindo, que no msn funciona sem muita intenção(pelo menos na maioria dos casos), na vida real funciona como uma forma de expressão para quem não tem tanta voz assim e é normalmente marginalizado na sociedade. As pessoas de fora dessa realidade acabam vendo de forma preconceituosa tal fato e não entendem o porquê de isso acontecer.

O post até que ficou grande pra uma idéia que eu tive durante uma ida ao supermercado(idéia esta que caberia em um tweet), mas que eu já tinha pensando a um bom tempo. Muita gente já falou sobre isso, então eu também não poderia deixar de dar a minha opinião. Espero que tenham gostado 😉

Anúncios

Músicos ruins e seu fãs chatos

Quem tem twitter, orkut, entra no YouTube sempre, ou pelo menos assiste tv, já deve ter percebido que há uma relação fundamental entre músicos/bandas ruins e fãs chatos. “Por que?”, você me pergunta. Não sei, tentaremos descobrir no desenrolar deste post.

Para não ser repetitivo, e/ou ser tachado como “modeiro”, tentarei ao máximo não citar nomes aqui, mas porra, pega aí os fãs dessa galerinha, e compara, vê se UM DIA na vida, vocês ouviram/leram isso:

VCS NÃO GOSTA DE THE SMITHS PQ TEM ENVEEEEEJA

Vocês entendem o que eu quero dizer?

É como se fosse um vírus, uma doença, que além de infectar a mente — fazendo a pessoa gostar de ouvir coisa ruim —  afeta fazendo-o falar besteira, escrever errado, e ainda parece afetar a visão, porque tem gente que acha isso aqui, símbolo de beleza masculina, ou seja: ou tem algo errado ou eu estou no planeta errado.

Não tenho nada exatamente contra os cantores (afinal nem os conheço), nem contra as músicas em si (pelo menos algumas delas), mas os fãs conseguem te fazer odiar uma banda muito mais do que ela merece, se você for parar pra pensar, vai concordar comigo nesse ponto, pelo menos: Você não conseguiria odiar tanto uma banda ou um cantor se não fossem pelas atitudes de seus fãs. Analise.

Aí fica relação paradoxal, mas obrigatória entre as bandas ruins e os cantores chatos: os cantores são odiados principalmente graças aos fãs chatos, e os fãs são chatos graças ao ódio que conseguem de quem não gosta de suas bandas.

O que você precisa saber sobre a Indústria da Música Pop

Super videoaula do nosso querido master supremo Jon Lajoie(sim, ele mesmo, Ele mata pessoas, é o MC Vagina, e mesmo assim continua sendo um Cara Normal de Todo Dia).

Como assim?? One Time não foi feita pra mim????

É, minha jovem impressionável, eu não teria tanta certeza.

Justin Bieber, Colírios, Restart e outras frescuras

Façamos primeiramente um teste, coisa simples, do lado de cada item abaixo tem um número, responda a pergunta, some pontos e avalie sua pontuação no frescômetro.

"Não deixa a mamãe me ver sem camisa"

BOTA O AGASALHO FILHO SENAO VAI PEGAR RESFRIADO

Pergunta 1: Quais desses “artistas”/bandas/coisas você gosta, ama, coraçãozinho, coraçãozinho ❤, ou admira?

Justin Bieber = 3
Restart = 5
Cine ou NXZero = 4
Dudu Surita = 4
Mais de um colírio = 5
Lady GaGa ou Beyoncè = 2
Poderoso Chefão(“WTF??” – é, só pra salvar mesmo) = 4

Resultado do teste:

0 ou menos: Parabéns, você é uma pessoa considerada normal.

1 ou mais: Meus pêsames, você sofre de H1NXZERO(Influenza MTV), uma doença muito comum que ataca principalmente os jovens descuidados que são facilmente influenciados(piadinha) por seres de voz fina e roupas extremamente coloridas.

Pra fechar(sim, porque eu to escrevendo esse post há 3 dias, por falta de tempo), como diria(e disse!) o master sábio PC Siqueira em um vLog dia desses: “[…]hoje pra você ser famoso, basta você parecer meio viado, ter um cabelo tipo grande e puxar ele pro lado.

Puta verdade.

Mas, adianta falar alguma coisa?

Aniversário de um ano da morte de Michael Jackson

E até hoje eu sinceramente nao sei quem REALMENTE o matou.

O médico que exagerou nos remédios pra dor?
A fama e a superexposição?
Pessoas que se aproveitaram ao longo da carreira?
Ele mesmo?
A ganância de seu pai, através de uma pressão exercida deeesde a sua  infância?

Eu não sei, e acho que de verdade mesmo, ninguém sabe.

O que quer que tenha acontecido, se foi um ou mais fatores desses citados acima, não se sabe ao certo. Só sabemos que ele deixou um legado, e manteve a coroa de Rei do Pop mesmo depois de sua morte. Mesmo para aqueles não são tão fãs, ou aos que só conheciam algumas músicas, ele faz falta.

Só nos resta agora assistir aos especiais de aniversário e usar a internet pra ver/ouvir/ler alguma coisa sobre.

Um ano.

%d blogueiros gostam disto: